domingo, 24 de junho de 2007

Fim.

Fim. Mais uma vez. Prometo tentar não me imaginar mais na tua cama, numa preguiça exagerada como quem pede carícias ao amanhecer antecipado. Prometo tentar não me entregar de novo nos teus braços, parapeito da minha cabeça, numa janela para o ritmo acelerado do teu coração. Prometo tentar não te seguir o rasto de perfume entre lágrimas de chuva. Prometo tentar não cuidar mais de ti, como um pai improvisado na pele de namorado. Prometo tentar não me afogar mais nas tintas dos teus desenhos. Prometo tentar não te guardar mais o olhar em fotografias espontâneas. Prometo tentar não encher o teu quarto de raios iluminados pelo fumo de um cigarro a dois. Prometo não tentar mais.

Arranha-me a vontade de entrar no metro e seguir o destino já automático. Já nem as chaves tenho para entrar. Por isso resta-me deixar que ela se apague, como lâmpada que funde, lentamente, até que a sua luz seja consumida. E haverá réstias de brilho depois disso?
Gritei-te insultos em resposta das incopatibilidades e deixei-te ali sozinho, como eu. Não tive mais vontade de te olhar nos olhos verdes porque as mentiras eram mais que as verdades. E não chorei nessa noite. "Cresce" disseste-me uma vez, como contra-argumento sem sentido de resposta possivel, e agora penso que és tu que precisas desse meu conselho. A idade já não conta hoje em dia, entre tanta gente desprovida de qualquer capacidade de amar.
Desta vez não tomo qualquer tipo de narcótico para me ajudar a dissolver as memórias. Espero que ao escrever consiga dividir o peso no peito e que o teu sabor desapareça da minha boca. Também sinto o salgado agora e sei que os olhos estão molhados. Acontecimentos inevitáveis de quem se separa.
Acabei por não te encontrar no fim do labirinto. As paredes eram em forma de dúvidas cortantes que surgiam sempre que me tentavas aproximar de ti. No entanto, senti os momentos de entrega e escrevi-os no mapa que fui desenhando. Sei que os vou guardar como lembrança de momentos felizes.
Caímos, os dois, e só temos que aguardar pela força que nos vai levantar. Quando chegar o momento de nos partilharmos com alguém vamos ser memórias guardadas num sitio especial. Pelo menos é o que me cantam aos ouvidos, numa melodia vibrante em forma de piano. Espero que seja verdadeiro o prenúncio de um recomeço de dia em que o sol será de novo bem-vindo. É engraçado que nunca aprendemos com as experiências anteriores relativas à partilha de sentimentos.
Gostei de ti e ainda gosto, é o que me prova agora o que digo a mim próprio, mas sei que se houvesse uma outra oportunidade só servia mais uma vez para adiar o fim. Por isso espero que, pelo menos, os nossos olhos se voltem a cruzar por aí e não se desviem. Que haja um cumprimento sentido e uma vontade de ficar presente na vida um do outro.
Até lá despeço-me de vez: adeus.
25 Junho 2007 : 01.33

7 comentários:

Paulo Mota disse...

-Prometo tentar não me entregar de novo nos teus braços, parapeito da minha cabeça, numa janela para o ritmo acelerado do teu coração.-


simplesmente, AMEI!

ZEITGEIST disse...

Silêncio.
Calmo.
Desprendido de nada,
ninguém me conhece.
Desvaneço em silêncio
e reanimado, caio.
Em silêncio, refaço-me.
Frágil.
Estranho.
Reencontro a saída.
Perco-me em viagens.
Silêncio bruto.
Sem ninguém por perto,
nada é o que parece.
Verdadeiro embuste.
Silêncio.
Tranquilo.
Refeito de carpido.
Nada se sonha.
Nada se quer.
Em silêncio sou raro.
Sou silêncio.
Calmo.

firstgeist.blogspot.com

Anónimo disse...

Gostava eu de te poder prometer nao usar palavras altissonantes tentando bajular-te para que nao descobrisses a imensa inaptidao que tenho para expressar o que senti ao ler-te em tons de despedida.
Prometo antes que senti tudo o que escreveste como se tivesse sido eu mesma a redigir esse texto. Como dor tua que é minha ou dor minha que faço passar por tua para a poder ler nas tuas palavras. De qualquer das maneiras senti o que me escreveste de uma forma maravilhosa.

dual_ disse...

I DO…

Caminho de seda e veludos para o castelo encantado, de portas abertas está.
Cores marcantes como as de um arco-íris… as tuas.
Luzes!
Acender luzes!
Corpos de luz que nos fazem sentir grandiosos.
O som das palavras… sussurrados aos ouvidos… e ditos nos lábios.
Cada palavra contém o brilho de uma estrela.
Tuas mãos de contracções faraónicas, teus braços, ânimo do segredo, esotéricos de majestade astral, braços poderosos de polvo de actos de triunfo antes de adormecer.
O leito de areia que te cerca agora cativando-me no veiculo minucioso que nos desloca nas viagens.
Despertares espontâneos.
A nossa efígie perpetuada nos caminhos que desconhecemos e exploramos de mãos entrelaçadas. As mãos que são o guia nas caves do dia.
Vale a pena amar-te e sentir ser amado.
Nossos corpos unidos num só abrem asas e VOAMOS!
Asas que me dás, que me leva e nos levam bem alto e para longe.
Paraíso no teu olhar.
O encantamento de dois em um!
You show me your smile.
Gosto de saborear…
A eloquência do Amor, desperta em nós seres mais leves em danças e coreografias improvisadas que não têm mais fim.
Ficas! Fico! Estás! Estou!
I always do something – everything…!
Contigo…! A magia continua…!

Também te Amo muito, gosto de te ter.
AMO-TE.
Beijos P****** do teu J.M.

1Beijo = 1000
Ours «Dreams do come true»

dual_ disse...

hoje é um dia especial
Ô Pedro PARABÉNS!
Pedritu, os meus parabéns ;)
Muitas felicidades, cheia de cores e luz.
Luz cheia de encantos! Raios Laranja… vislumbram.
Encontro-te a mais iluminada estrela, a mais admirável lua.
Momentos mágicos do nosso amor… em que encontramos…
O teu jeito, feito para mim, faz esta loucura de estar sempre contigo _ olhar-te.
Volto a perder-me em ti, perco-me em ti.
Colado em ti, em beijos daqueles.
Sempre o teu :)

talvez seja o melhor que nos aconteceu, acontece e acontecerá!
Porque nós queremos!
Também te amo muito!
AMO-TE!
Beijo = 1000 *****
PARABÉNS!

dual_ disse...

PARABENS sim, grande beijo nos teus lábios
amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te amo te
penso sempre em ti mas hoje mais ainda…
Também te amo muito Pedritu!
BEIJO *****
Até já :)

Anónimo disse...

Às 03:48h cheguei.
Às 03:48h esperei 11 minutos.
Às 03:59h olhos molhados, sorrisos quase falsos.
Às 05:33h eras crescido, Gigante.
Às 05:35h dois minutos de calor, vem cá...
Às 06:00 és um Homem.

depois, em todo o depois...
fico contigo
protejo-te
dou mimos.

Não permito que cresças.

Às 03:48h chego de novo
Às 03:59h ainda és pequenino.