sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Carta ao Pai Natal

Aqui em casa, hoje.


Querido Pai Natal:

Este ano, mais uma vez, acho que fui um menino exemplar: não roubei muita coisa e pouco toquei na droga (uns charros de vez em quando não é mal para ninguém... nem os poppers e a coca e as pastilhas); estudei muito [pouco]; tratei bem a familia, quando estive fora de casa; fiz bons amigos e falei poucas vezes mal das pessoas. No fundo, que melhor poderia eu ter feito?

Por isso vamos ao que interessa que não tenho paciência nenhuma para estar a fazer pedidos a um velho que nem sequer existe. Desculpa mas comecei a perceber isso quando vi um Pai Natal, minutos depois de me ter sentado ao colo dele para tirar uma fotografia, a fumar um belo de um charro e a beber uma cervejola no parque de estacionamento do shopping. Achei estranho mas ainda lutei por acreditar que Tu eras diferente daqueles falsos, só que desisti quando vi que nunca tinha o que pedia.

Enfim... Confesso que o que mais gosto é desta parte: os pedidos para pôr no sapatinho. Afinal o que é o Natal sem os típicos pedidos influenciados pelos anúncios luminosos, ora sobre a nova depiladora de axilas ora sobre o novo DVD de um filme qualquer onde 4 brutamontes americanos se esfolam por serem os primeiros a arrancar um olho a um pseudo-terrorista? Ou sem um monte de crianças mimadas que nos enchem televisão a chorar pelo novo Noddy em tamanho humano ou pelos novos bonecos animados de wrestling? Sim!! As crianças de agora ADORAM ver wrestling. Eu acho super educativo, ao menos sabem-se defender dos professores quando estes lhes berrarem: "IGNORANTE!! NÃO SABES QUANTO É 1 + 1?!". Mas também os putos de agora só querem ser jogadores de futebol ou floribellas, ou seja, não precisam disso para nada.

Por isso este Natal queria:
Mais "Sozinho em casa 9729876. O Regresso!" ou "Hoje é véspera de Natal por isso vamos chorar todos enquanto fazemos de conta que acreditamos que o essencial nesta época são os sentimentos de bondade e paz mundial." (este é o meu favorito). Quem é que pensa que está em época natalícia se não tiver nada disto?

E mais campanhas como "Vamos ajudar os pobres porque é Natal.", ou "Vamos dar de comida aos meninos orfãos porque é Natal.", ou ainda "Vamos comprar livros e merdices que uma parte do dinheiro reverte para a ajuda de não-sei-quem, PORQUE É NATAL!!!!". E o resto do ano? Podia ser Natal, mas não é, porque senão o pessoal da publicidade não conseguia chamar a atenção das pessoas, remechendo-lhes nas visceras dos sentimentos, usando a parte do "porque é Natal".

Também queria mais Bush's a cuspirem estupidez e mais homens poderosos, governadores de tudo e todos, que podem comprar as cotas de poluição que os países sub-desenvolvidos não gastam. Eu pensava que isso das cotas era para não se poluir tanto, mas o otário devo ser eu.

Quero mais bombas a cairem nas cabeças de recém-nascidos e mais maternidades a fecharem, se calhar é para prevenir que as bombas caiam lá dentro. E que se desvalorizem certos empregos fundamentais à sobrevivência de uma sociedade e que se aumente o desemprego. Porque o que se precisa é de gente pobre para realçar as ‘tias de Portugal’.

E quero que os pobres fiquem cada vez mais pobres porque o nosso país está a precisar do dinheiro dos impostos para construir acessos aos estádios de futebol. E quando não há estádio, constrói-se um, olha que porra !

Gostava que houvesse mais regras mágicas, daquelas que aparecem de repente, para os exames nacionais, onde só alguns têm o proveito todo, enquanto que os outros não entram nos cursos que queriam porque os beneficiados subiram as médias e baixaram as vagas. Como eu adoro a Justiça deste país.

Também quero muitas mensagens pré-feitas, do tipo puré instantâneo, onde com um simples clique envio a minha mensagem para dezenas de pessoas (com a vantagem de não pagar nada se forem 91).

QUERO MAIS "MORANGOS COM AÇUCAR" !!! E "FLORIBELLA" !!! E TELENOVELAS DAS 8 DA MANHÃ ÀS 8 DA MANHÃ DO DIA SEGUINTE !!! Sim, Pai Natal, quero lá saber de programas culturais ou educativos. Eu quero é beijos nas escadas rolantes e nas salas de aulas e no gabinete do director e no quarto de banho do shopping. Quero ver mais quecas ao pôr-do-sol ou ao nascer da lua, finalizadas por um belo cigarrinho. Ai! Como adoro o romantismo das telenovelas. Ah! E quero que continuem a ter o grupo dos humildes e o dos poderosos/convencidos, mas desta vez, gostava de um final ligeiramente diferente, assim a tender para uma utopia bem real: os poderosos, ricos, narcisistas, dominadores de todos os 'issimos' e 'issimas' ganham aos humildes, pobres, feios, etc etc etc.

Para finalizar, quero ainda mais repúdio e preconceito entre toda a gente. Quero 'betinhos' a criticarem todos e a transpirarem racismo pelos poros. Quero ainda mais massacres e humilhações a homossexuais e quero que a homossexualidade continue a ser considerada como uma praga, um vírus, um cancro na sociedade, mesmo que o nosso século já seja o XXI. Quero escravidão e trabalho infantil.

Ah! Se não for pedir muito, também queria mais corrupção em todos os órgãos que governam o nosso país. Mas isto é só se não te der muito trabalho. Não faz muita falta.

Por estas razões, meu querido e amável Pai Natal, é que eu acho que neste ano tens mesmo que me dar todos os presentes. Por favor.


Despeço-me com um grande abraço e espero que bebas pouco a conduzir, não vá a Brigada de Trânsito confiscar-te o whiskey para proveito próprio.

Para sempre o teu menino bem-comportado,
Eu.


22 Novembro 2006 : 4.22

4 comentários:

Ruy de Villa Real disse...

gostei mto da critica... pk é natal... lol... hoje tou mto xapado pa comentar... amanha venho ca meu irmao... vou dormir que tou mais cego k o ceguinho ;)

Padrinho disse...

Muito bom, tavas inspirado!!! lol Um grande abraço ;-)

Anónimo disse...

simplesmente genial...

=)
beijinho oh menino que é raro eu ver

nana disse...

não é preciso insistir muito com estes presentes que retratam o Presente!
Peço que o Pai Natal traga Esperança "Essa coisa com asas" que permite sonhar irrealmente sem a cáustica ironia tão real!
Espero que o Natal tenha sido "Quentinho e doce!"