segunda-feira, 19 de março de 2007

Voei.

Voei. Abri as minhas asas de cabelos pretos e voei. Dei corda ao relógio de bolso e ouvi o coração bater.

Está frio e a chuva faz-me tremer, medo inseguro de não aguentar o peso da água. Já não há sol no céu e a lua não se mostra hoje. Eclipse misterioso de um recomeço secreto. As nuvens são o meu caminho porque nem o vento ou as estrelas me querem falar. E os candeeiros são lembranças de um tempo de luz.
Deixei-me viciar, necessidade orgânica que agora me mantém de pé. Selei a minha promessa em palavras para não pestanejar quando te olhar de novo, quando houver um novo olhar. Desculpa que encontrei em cartas que não te escrevi. Coragem que me faltou. Vontade que escondi.
Peço-te que me escrevas quando tiveres certeza da tua morada. Oito mil setecentas e sessenta horas é tempo demais e o relógio ainda mal começou. Não te prendas em amarras de seda mesmo que sejam macias as histórias nos teus pulsos. Corre para longe mas decora cada pôr-do-sol.
Acabei por encontrar um novo ninho de olhos verdes. Cheguei a casa e não és tu que me esperas com um beijo nos lábios.
19 Março 2007 : 05.36

12 comentários:

Padrinho disse...

Muito bom!!!! Bastante profundo!!!! Gostei!!!! Um grande abraço cheio de saudades!!! Tou quase a chegar!!!

The Biatch disse...

Naquela noite o silêncio fez-me companhia, e o peso da sua ausência afogou-me nas águas do esquecimento.
Hoje sou para ti, e por isso dou-te o braço... segura-te!

*

peterpan disse...

seguro já estás.
tens os meus dois braços que te dei e o olhar verde que te dedico com atenção.
cá te espero em casa.

**

Anónimo disse...

De onde vai nascer
A estrela que vai te trazer?
Onde vai brilhar os seus olhos,
Diz que eu vou te buscar...
Diz aonde vai estar
Largo tudo e vou te encontrar!
Já está escuro
E você ainda não ligou...
De onde vai surgir?
De um raio de sol
Ou numa folha que o vento leva e trás...
De onde você vai surgir
Estou pronto para amar-te.
As estrelas vão denunciar o esconderijo
Que te guarda pra mim.
Os meus olhos irão te entregar todos os meus sonhos
E finalmente vou viver esse amor,
Sem que uma nuvem cubra a mais linda estrela...
A nossa estrela,
A que protege o nosso amor.
De onde você vai surgir?
Juro que dessa vez não vou fugir,
Vou te amar
Sem pensar...

Anónimo disse...

por onde tens andado, nao te tenho encontrado?????

quero-te "segurar" mais uma vez

Dual_ disse...

dá-me o que rocuro
ou não almejo
EU QUERO-TE lentamente
ou abruptamente
a escorregar pelas vertentes
do meu mais forte desejo...

Dual_ disse...

dá-me o que Procuro
ou não almejo
EU QUERO-TE lentamente
ou abruptamente
a escorregar pelas vertentes
do meu mais forte desejo...

peterpan disse...

a dualidade por vezes deixa nos um pouco confusos, o desejo nao tem vertentes.
o desejo é carne.
o desejo só existe se for correspondido.
o desejo é por si só.

dualidade é ser ao mesmo tempo que não ser.
e abruptamente se encontra a negação até que se encontra na fase do não ser.

dual_ disse...

Porque pergunto onde estás,
Se não estou cego.
Se tu não estás ausente
Se te sinto
Ir e vir,
A ti, ao teu corpo
Que se finda em voz,
Como fumo na chama,
No ar impalpável

E pergunto-te, sim,
Pergunto-te,
De quem és?
E abres os braços para mim
E do fundo do teu ser
Respondes-me que meu.
Sempre!

dual_ disse...

Amar é uma ocasião sublime, onde se perde de si o fim da razão e permanece a ténue claridade da contemplação do prazer...

dual_ disse...

quantas vezes andei a procurar-te
não sei, contei
não percebi que te procurava.
queria-te sem saber.
quero-te meu.
não sei se paixão, se amor, se amigo
sei que mais do que tudo quero-te comigo.
quero-te ver feliz, em minhas manhãs
Tua boca deixando-me sentir o teu primeiro gosto
Teu hálito quente e cheiro de sono
sentir o teu suspiro ao meu toque
beijar o teu corpo
assim quero-te, menino, perdido…
porque já te encontrei
porque fizeste e fazes parte de mim
e por um querer do destino
Nossa união teve o seu tempo certo para acontecer
E sei quem és!
e deste momento em diante o nosso caminho funde-se
mesmo sem saber ao certo por onde andaremos.
mas com uma certeza
Nosso caminho é directo,
Nosso destino, a FELICIDADE!


Continua tão doce o sabor do quanto me amas ainda...

dual_ disse...

Se ela diz é tudo o que eu sei
Nao da pr'andar mais sobre a saia
Para mim procura nao ver
E tal só faz com que ela caia

Escuta bem nada passa num dia
Fala fim mas com determinacao
"Estar só torna tudo mais facil"
Nao é mais que ouvir teu coracao

Se ela diz nao posso pensar
Se eu nao dormir vai ser mais caro
Cora mais se eu falo por si
Nao quer ouvir o que é tao claro

Escuta bem nada passa num dia
Fala fim mas com determinacao
"Estar só torna tudo mais facil"
Nao é mais que ouvir teu coracao

Eu sei como é bom estar só
Se és mais
Eu nao sou
Porque amanha ja ca nao estou
Eu vim dar mais que um beijo igual a mil

Ela diz "nao é normal!"
E paro agora vou analisar
Saltei ao vazio que afinal é bem mais
E vim cair num mundo igual

Só aparenta
o erro foi deixar
A ironia da camera lenta
Nao nos dar tempo para pensar

Eu sei como é bom estar só

É facil amar
E ser amado
É só ter jeito para falar o que é melhor de ouvir
Mas o calor que é tudo o que é bom
Só acontece quando nada é claro
Escondo o que é verdade e cru
Pornografia é vicio sao
Mas fique em platao

Eu sou o rei masturbador
Eu sou o céptico a falar
Mas se a falar de amor
Eu julgo ter razao

Ser da terra dependente
É o dilema da semente
Contrariar
Nao é coerente

Dona aranha coma o seu marido
Dona aranha nao jante o seu marido
Dona aranha nao coma e coma o seu marido
Dona aranha nada disto faz sentido


1BEIJO = A MIL (os teus)