segunda-feira, 30 de abril de 2007

Não os deixes fechar.


Fechei os ouvidos para te poder sentir quando chegasses, mas os olhos cairam em colapso brutal. Fecharam cansados de imaginar demais.
Ainda me dói o peito dos arranhões que deixaste. E a cabeça arde de tudo aquilo que dissemos. Venenos que nos queimaram por dentro, num turbilhão de luzes incandescentes, em berros de silêncios não explicados. Doeu. Eu sei que doeu.
Deixei-me cair, sem querer, e sonhei com reflexos que não são os teus, em espelhos que quis partir. Arrependo-me e peço-te ajuda para a afastares. Não a deixes ficar, com os seus encantos de opióides ácidos que me corroem a vontade. Chama-me pelo lado racional e apaga-me as miragens das pálpebras, que se escondem quando acordo. Não a quero por perto. Não quero.
Já nem sinto as mesmas saudades. Quero outra vez os comboios e as viagens sem regresso, as praias a rebentar de azul e os quartos escuros perfurados pela luz dos candeeiros. Quero repetir, mas há cansaço a mais em mim. E a vontade está inerte, numa ataraxia mentirosa. Sintomas do início.
Abana-me e desenha-me de novo. Quero-te sentir o cheiro e mexer-te no cabelo molhado. Quero-me afundar nos teus olhos e encostar no teu abraço. Deixa-me dormir mais uma vez contigo. E outra e outra vez, numa reconquista ainda por começar.
Não repitas os momentos azedos, nem te cales em dúvidas que não são verdade. Abre-me os olhos, porque da próxima vez, o silêncio pode fechá-los de vez.

30 Abril 2007 : 04.26

17 comentários:

dual_ disse...

De quem era a mão que te amparava o gesto, quando em mil fogos de artifício te deixaste levar?
Era minha...
Quem te negou a ilusão desse espelho distorcido em que quiseste acordar?
Fui eu...
Com uma perplexidade quase ingénua segui teus passos, com se dos meus se tratasse...
Estendi-te a mão...
Afaguei-te o cabelo...
Apelei à razão...
Agarraste-me como à vida...
Dizias-me trémulo: - Amo-te tanto!
E em surdina suplicavas: - Fica... Fica só mais uns minutos...
Tempo suficiente para te sentir adormecer, enroscado em mim, qual animal indefeso...

Também te amo muito!!

BEIJO *****

dual_ disse...

Os lábios tocam-se, roçam,
molham-se carnosos, sofregam,
sorvem a saliva do outro
e provam o sabor um noutro.

A língua sabe a quente e entra,
por dentro e também por fora
por baixo e também por cima,
arde em vontade que queima!

Os dentes tocam de leve, mordem
suavemente os lábios,
os de baixo, que logo surgem
dentro doutra boca, esguios,

sugados dum lado ao outro,
por baixo e por cima agora
por dentro e também por fora
- é bom!, sabe sempre a pouco!

A língua vê-se mordida,
não reage, surpreendida,
goza o gosto da saliva
doutro, que ternamente a beija…

Tocam-se quentes as línguas,
molhadas, violentas,
fustigam ardentes as bocas
em vontade crescente! Loucas!

As línguas sugam-se, aqui e além,
perdidas de ardor e ritmo
em movimentos de vai-e-vem,
ardendo de lascivo mimo.

Caiem, desfalecidas,
sem resistir, sem se mover,
alegres, fogosas e rendidas
à doce vontade de amar.





beijos apaixonados... os nossos!

Também te amo muito!

BEIJO *****

dual_ disse...

Quero-te continuar a namorar:
sentir o teu cheiro
beijar teu rosto
lamber teu peito
sentir teu gosto.
Mergulhar em teus braços
extrair a fórceps de aço
teu abraço.
Sentir teu corpo em meu corpo
tua boca em minha boca
numa paixão louca
quero-te amar!

Tudo de novo! Em vezes sem conta…



Dorme a meu lado, há nisso uma inclinação fácil e prolongada. Nada nos dói no sono lado a lado.
Passo-te a língua quente pelo pescoço, como que lambendo feridas escondidas... para aliviar essas dores / arranhões / perfurações. Entrelaçados num suspiro de felicidade podemos finalmente enfrentar os nossos horizontes de olhos bem abertos.

Decompomos imagem sobre imagem.
Frases soltas.
Risos.
Aventuras sem razão.
Não há enganos entre nós.



Também te amo muito!

Beijo *****

dual_ disse...

A tua primeira vez, o início da tua vida académica. Cantavas, gritava, dançavas… no auge da fúria das hormonas.
Mas o que é isso para quem faz tantos estágios por essas noites ;O)

Ontem, durante o cortejo, lá fomos contagiados no coração por cor amarela e branca, alegria, irreverência, diversão, folia!
E é para continuar :O)

cumplicidade e ternura vividos intensamente
teu corpo em meu corpo em abraços
formando um laço
que for timidez desfazíamos
com o «medo» de sermos descobertos
Risos!
Saía de cena!
Que pena!
Quebrávamos a simetria!
Acompanhávamo-nos naquele espaço quente e envolvente.
Ah, estavas tão lindo!!



Acordo com a vontade do mais quente dos teus beijares e do mais envolvente dos teus abraços, êxtase cor de laranja, para se curar as feridas que te fazem, que queres esquecer e te libertar.
Os nossos quereres…
Mais uma das nossas viagens, que os caminhos não acabam.

Your body!
My body!
Our souls!
Genuine love!
FUCK THE PAIN AWAY!


Também te amo muito!
Até já!

Beijo *****

JM disse...

LOL o menino das mil e uma paixões. Sempre dividido entre amores e desamores. O que interessa é que nunca perdes tempo e estás atento ao que te rodeia. Sempre nos contactos ;)
Campanhã? Viagens de comboio? É para repetir, vai em frente. Não há tempo a perder ;p
Também tenho saudades do Verão, quero: férias, praia, festivais, calor, liberdade… histórias em que somos os actores principais.

Contínuo aqui, nunca estarás sozinho.
Um grd abraço, daqueles nossos

dual_ disse...

História do corpo e do tempo, do segredo e da sua fala, do lugar e do amor que nos agarra. A completa sinalética dos sentidos.
Amores ávidos de se tocarem!
História de enganos, mas é também, na sombra disto, qualquer coisa de mais profundo e decisivo: uma lenta aprendizagem de convivência, uma serena sabedoria dos espelhos.
Uma nova forma de amar!
Onde nos cruzamos, numa articulação reticular extremamente hábil, natureza e sobrenatureza, o onírico e o real, a unidade da medida e a vertigem, o mundo físico e o universo infinito e descentrado que cada um de nós transporta no seu bojo mais íntimo.
Amor! Paixão! Romance!

Chegaste com a luz,
silhueta que seduz,
entraste no abrigo,
onde a minha vida me guarda.
Um beijo e um sorriso.
Quebra-mos silêncios.
Matas-me com o teu olhar.
Haja o que houver,
será sempre assim.
Venha quem vier.
Tomaste conta de mim,
e do meu coração.
Negava a saudade.
Negava o desejo.
Enganava a felicidade.
Nada é inexequível!

Talvez seja o melhor que nos aconteceu, acontece e acontecerá!
Porque nós queremos!

Também te amo muito!
Beijo *****

Beno disse...

Bem... Mais uma vez vou ver se me esclareço.

Criatura que se entitula de 'dual_': os teus comentários começam-me a irritar. Não nego que gosto bastante da maneira como escreves, mas acho que a tua cabeça anda um pouco confusa. Eu não namoro contigo nem digo coisas como 'amo-te'. Não. Eu não banalizo essa palavra. E além do mais, como poderia usá-la contigo se eu não faço a menor das ideias de quem tu és? Também por isso, não sei de que momentos falas que tivemos (pq agora não temos DE CERTEZA) e voltas a enganar-te MUITO quando pensas que eu sou uma puta que se oferece a toda a hora. Os tempos mudam.
Quanto às pistas.. São algumas, mas por favor, para enigmas tão compridos vejo o CSI ou outra merda qq.
Tenho-te deixado escrever a vontade no meu blog e até agora nao apaguei os teus comentários, mas se não me deres uma resposta conclusiva eu apago tudo o que for teu. Não me faças fazer isso.
Vá, ser, não me aborreças mais. Eu deixo-te escrever à vontade se me disseres quem és.

dual_ disse...

Faz parte de algum desígnio - arte -intriga tentar justificar? Atribuindo a enigmas malvados as respostas…
Respostas conclusivas? E as vivências, e as jornadas que Eu – Tu – Nós realizamos!? Tentativas de manter, e para manter, dualidade, discrição e conivência
“Os Tempos Mudam” Pois claro que mudam! Se calhar, até será mais isso que e está a irritar, não? Deixas de ditar regras, controlar Tudo e passas a REPRESENTAR – DESEMPENHAR - IMOBILIZAR) o papel de presa.
Cenas só na “Morte em fuga” ;O)

Acho que quem contínua confuso, não sou eu, mas tu… as tuas certezas fragilmente vãs.
- Pedro C. C. considera (contempla, medita):
não sou eu que te trato como puta e acuso de tal. Dubiedade, desprezo, arrogância, relegar a segundo plano, afastamento, arranha o coração, fere corpo e alma, ofende, desafia, divaga, afronta… provoca dores! Maléfico! De tudo um pouco, do nada vem o nada. Como mo declaras.
sou eu a quem sempre recorres para te acordar das distorções das imagens reflectidas! Estendo-te a mão! Afago-te! Cuido-te! Apoio-te! Vejo-te! Ouço-te! Fico… Fico… Fico… Voamos coniventes!

Não deixes que estas justificações sejam nefastas a algo de tão belo que REFLORESCE – RESSURGE. Transportas-me do passado para o presente, do presente para o futuro, e talvez do futuro para a continuidade.
Não tentes manifestar dúvidas inexistentes, nesta reconquista que recomeçou. Silêncios quebrados.
Habilidade para recordar imagens e circunstâncias vividas em demonstrações afectivas aprovadas, terça-feira do cortejo é um mínimo adágio, um pequeno espelho. Aliás, toda a queima LOL

Não me faças sentir e pensar como um escopo, tenta ser íntegro. Pois pouco importa o que possas apagar do blog. Tudo o que seja meu?! Escrevo-te da alma com o coração.
Como me sabes encantar!
Será magia?
Será sonho?
Nada disso… É AMOR!

Apesar de tudo, que bom sentir o que paira… sentimentos mágicos, noites e dias mágicos, carinhos mágicos… como é bom!

Também te amo muito
Beijo *****

«Dreams do come true»

Rui disse...

Bem Pedrito, não sei se já descobriste que é este "amigo", mas digo-te desde já, como já te disse, que não sou eu!!! Fica bem e don't bother!!! ;-)

dual_ disse...

Habitamos um espaço comum...
Tento sair desta esfera que me sufoca, e vivo no limiar, onde nem sempre nos encontramos, mas onde dialogamos.
Assisto ao desevolvimento do processo, num corpo com uma identidade própria.
O espaço vibra, respira, move-se, deslocando-se numa alquimia secreta em que o corpo, o meu corpo existe em momentos únicos, como se de metamorfoses se tratasse.
"Corpo_Corpo", dois espaços, duas atmosferas, para se incorporarem numa só atmosfera.
Corpos comuns, que se tornam pinturas e fotografias, em todo o detalhe dos corpos, dos movimentos.
Quebrados silêncios para uma evasão de momentos.
NÃO EXISTEM FRONTEIRAS!

Atingiu-me a seta do Cupido
e senti dor tão diferente.
Não a sinto quando estou contigo...
Dói quando de mim estás ausente.

Também te amo muito!

BEIJO*****

dual_ disse...

Ameno contemplar intimista e mais secreto
Imagens simplificadas que se desfazem…


Relegamos os espelhos deformantes para os castelos encantados, para não termos de pôr em crise a fronteira, que instintivamente é traçada.
A nossa atitude torna-se dúplice…
Na realidade, aceitamos que os espelhos, por regra, devem dizer a verdade. Mas a nossa suspensão de incredulidade não se refere tanto à imagem, antes a um jogo complexo, o Amor…
Uma lua enorme veio substituir o sol, cor evanescente que confunde céu e horizonte, do mar faz-se um silêncio profundo, areia fria, dá-me a tua mão…
Atravessaremos a fronteira do reino que a esperança nos concede…


AMO-TE…

Beijo *****

dual_ disse...

"I'm so tired of playing,
Playing with this bow and arrow,
Gonna give my heart away,
Leave it to the other girls to play,
For I've been a temptress too long.

Hmm just,
Give me a reason to love you,
Give me a reason to be,
A woman,
I just wanna be a woman.

From this time, unchained,
We’re all looking at a different picture,
Through this new frame of mind,
A thousand flowers could bloom,
Move over, and give us some room.

Yeah,
Give me a reason to love you,
Give me a reason to be
A woman,
I just want to be a woman.

So don't you stop being a man,
Just take a little look from our side when you can,
Sow a little tenderness,
No matter if you cry.

Give me a reason to love you,
Give me a reason to be,
A woman,
It's all I wanna be is all woman.

For this is the beginning of forever and ever,
It's time to move over ,
So I want to be.

I'm so tired of playing,
Playing with this bow and arrow,
Gonna give my heart away,
Leave it to the other girls to play.
For I've been a temptress too long.

Hmm just,
Give me a reason to love you"



Um hino... do nosso grupo favorito.
Também te amo muito.
AMO-TE...

BEIJO *****

dual_ disse...

…Pessoalmente…
…Mentalmente…
…Cyberespaço…
…Virtualmente…
…Telefonicamente…
…Corporalmente…
…Intelectualmente…

APARECEU-ME O TEU ROSTO.
Muitas vezes ele acompanhou-me pelas ruas quando a noite é um castelo.
Tu estavas lá beijando-me o peito, enlaçando a tua boca na minha pele nas minhas mãos.
Aparecias-me tu…
Quando a noite se assoma é em ti que penso.
Andando pelas avenidas, onde deixamos pegadas, às seis da manhã sonhando sonhando sonhando.
Noites em ti, quando estás…
Adivinhas-me o pensamento.
Pressinto os teus passos e grito pelo teu nome: “Pedro!”.
No íntimo sei que vens por caminhos de um jovem surrealista. Vejo-te, perco-me… enches-me… segue o teu instinto ao encontro de minhas palavras e carinho.
Junto palavras na forma que gostas.
Nasce, renasce, em nós nova esperança:
- finalmente Amar verdadeiramente!
De novo homem amado… mapa dos teus cabelos... o mapa do teu corpo…

Abro as janelas do meu quarto para que entre nele a luz, e tenho a tua face na janela.
Porque não estou no Mundo!
Estou em ti, Dois Num Só!

Também te amo muito.
AMO-TE!

Beijo *****

peterpan disse...

provocação.
vocação para rejeição.
rejeitar a identidade.
identificar o vazio.
vazio da essência.
essência de cobardia.
portanto...
por vocação se sente vazio por não aceitar que rejeita a sua identidade e assim recorrer á cobardia.



... um pouco mais de coragem ...
do alto de meu castelo comtemplo.
continua impenetrável.
tenho 2 chaves que não dou a ninguém.
que só eu sei o que abrem.

dual_ disse...

os limites fotografia, dança, musica, Poesia e internet Explorando as possibilidades que a escrita me proporciona… para com o uso Da linguagem opeRar cOm as realidades .

Certeza e incerteza são assim categorias equivalentes de Amar-te, inclinando-me sempre para o lado da certeza… impondo crença à certeza, não usando crítica mas o equilíbrio e a equivalência.
BEYOND THE WORD… Certainly … LOVE…
Vemos o que vemos e como vemos. Para lá do que vemos, orientações e dimensões, o que existe para o nosso sentido de vista nos dar.
Produção de imagens, seja por que método for, e por quê, ou qual for.
A efemeridade do Presente, tudo é feito e dito como novo, irremediavelmente não novas mas que passam por tal.

Abro tuas mensagens
tua voz, as tuas palavras.
Iluminam de esperança!
Deixas nelas o teu jeito e o calor
e o doce e terno sorriso
e ainda o teu doce amor…
Assim de novo
assim de novo vivemos
Sempre te amei! Amo-te! É a única certeza
Teus olhos castanhos lindos vertendo raios.
Teus cabelos escuros soltos.
Agora com a certeza de Amor de Verdadeiro!

Encontros! Reencontros! Caminhos, reabertos caminhos, onde tudo se torna fascinante e equilibrado... past - PRESENT – Future. Virtualmente confidencialidade/anonimato, corpo e alma com assinaturas bem visíveis para e por ti.
Não mais a dissipação, não a distorção, engendram correlações… maravilhamos ao contemplar o que nos rodeia, ao pôr-do-sol laranja, ao contar estrelas, voar até à lua e… gerar fractais.
Condução para a felicidade.
Estou em ti, Dois Num Só!


Também te amo muito.
AMO-TE!

Beijo *****

«Dreams do come true» ours!
Douro our screen!

dual_ disse...

Quando o Mundo fica para trás no ininterrupto amar é um risco cinzento, na paisagem aberta, desaparecendo na névoa subindo para o céu.
Asleep? No! WAKED UP! AWAKE TO THE REALITIES!
A ondulação da enorme massa é sinal do pulsar ritmado pela brisa, com um pedaço de cor da sombra e do mistério que nos apela decididamente.
No Aroma De Amores Sem Espinhos.

De súbito, ultrapassada a fronteira das certezas, vemo-nos envolvidos pelo reino… o piso macio. Os sentimentos nos assalta – desperta, presenças luminosas rompem numa afirmação de Conivência de Verdade.
- felicidade – bonança -
– alegria - contentamento -
Cada volta é um recomeço, vale a pena!
Caminhamos!
Existências!
Respiramos a cor densa e sentimo-nos inundados. Laranja afogueado rubro Vermelho dourado escarlate carmesim Encarnado (great colours)
Aparentemente imóveis. Renascidos naqueles momentos, abrimos os olhos ao desafio envolventes.

Todos os relógios param; todos os rostos se apagam da memória.

Nós próprios, fomos – somos – sejamos nós próprios! Mil Universos Apenas Em Um!
Outros, não se contendo da curiosidade e apropriação, tentam inspeccionar as nossas cores dispostas…
A minha missão é: a fascinação de comunicar nestas palavras e ilustrar com imagens mais multifacetadas e diferenciadas; elementos constantes.
Compreendo-te!
Apoio-te!
Acarinho-te!
Acompanho-te!
Contorno de luz, corpo de luz, parede de luz, tempo de luz e espaço de luz… definem mais significativamente.
Espelho no qual vemos, existimos… para se continuar acreditar! Palavras… sons… imagens… recriar tudo o que nos liga: O Amor!
Porque és e serás sempre tu… só tu sabes o quanto e o que isto representa!

Te quero. Também te amo muito.
AMO-TE!

Beijo *****
1Beijo = 1000

«Dreams do come true» ours!
Douro our screen! In those special places!
--- freeSoul! ---
--- sweetSoul! ---

dual_ disse...

…sons – lugares – imagens – reflexos – luz – movimentos – cores…
Realidades!
Verdade!
AMOR!!
Reminds this happy days! Special days!
I understand you!
Trust me!
I trust in you!
Always @ @ @

“All the stars may shine bright
All the clouds may be white
But when you smile
Ohh how I feel so good
That I can hardly wait
To hold you
Enfold you
Never enough
Render your heart to me
All mine.......
You have to be
From that cloud, number nine
Danger starts the sharp incline
And such sad regrets
Ohh as those starry skies
As they swiftly fall
Make no mistake
You shan't escape
Tethered and tied
There's nowhere to hide from me
All mine....
You have to be
Don't resist
We shall exist
Until the day I die
Until the day I die
All mine.......
You have to be”
(a festival of reflective jubilation)

Caminhamos! Acompanhas-me nestes espaços envolventes…
VOAMOS! We fly… dois num só... Universo como limite…
Teu doce cheiro fica, nele respiro.
Quando não estás, galgo louco lugares íntimos onde tanto amamos!
Acalmo o vazio e a ânsia na tua presença.
Como uma ave que pousa, me pousa no coração, e fala comigo.
Os lábios tocam-se, roçam e provam o sabor um do outro… vontade que queima!
O teu sorriso terno e doce, o teu jeito e o teu calor e ainda o teu doce Amor.
Enamoramento e Amor.
Contigo…! A magia continua…!

Até já :O)
Te quero. Também te amo muito.
AMO-TE!

Beijos *****

1Beijo = 1000
«Dreams do come true» ours!